quarta-feira, 16 de junho de 2010

A MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL



“Pontuar música na educação é defender a necessidade
de sua prática em nossas escolas, é auxiliar o educando a
concretizar sentimentos em formas expressivas; é auxiliá-lo a
interpretar sua posição no mundo; é possibilitar-lhe a
compreensão de suas vivências, é conferir sentido e significado
à sua nova condição de indivíduo e cidadão.” Zampronha
(2002, pg120)


Por atender a diferentes aspectos do desenvolvimento humano, a música tem como função ser um agente facilitador integrador do progresso educacional. Não basta, porém, simplesmente colocá-la no currículo. Já basta o Brasil, que tem muita coisa no papel e pouco em prática.
Do ponto de vista da psicologia, a música é uma forma de comportamento humano, em suas relações com o meio físico e social. Ao colocar na sala de aula, uma música mais agitada, é comum vê os alunos dançando, sorrindo mais, pulando, falando, gesticulando. O oposto é notado quando se coloca uma música mais lenta, ou instrumental conforme comenta Bréscia (2003).
Foi interessante quando coloquei certa vez, uma música instrumental na classe, e uma criança me perguntou - Cadê a música? - respondi a ela que já estava sendo tocada.
- Mas ninguém canta!. Achei engraçado, porém expliquei que existem vários tipos de música, inclusive as que não possuem voz humana, só a voz dos instrumentos.
Esse, creio eu, é o princípio do conhecimento dos gêneros musicais, mostrando as músicas de vários países, e as do nosso, valorizando-as, distinguindo-as e sabendo escolhê-las, elegendo qual é apropriada para o momento, ou mesmo para se refletir a
vida.
O ambiente da educação infantil é repleto de repertórios musicais. Muitos professores utilizam a música de maneira errada, quando não dominam esse assunto.
Desprezam-se os sons da natureza; despreza-se o silêncio, que é um componente da
música, como já fora relatado.
Demasiadas vezes, ao entrar em alguma classe (inclusive a minha, tempos atrás), ouvimos aquele som alto, as crianças gritando mais alto ainda, ferindo os limites dos decibéis, agitando, tanto as crianças como o docente, em momentos que não são de agitação.
É comum ouvir entre educadores que a música desperta a criatividade, propicia momentos para que a criança se expresse etc. Porém, uma mesma música pode ou não vir de encontro com esses objetivos, depende da maneira como é colocada.

Se utilizarmos, por exemplo, a seguinte música:


“Caranguejo não é peixe...
Caranguejo peixe é...
Caranguejo só é peixe,
Na enchente da maré!
Olha palma, palma, palma...
Olha o pé, pé, pé...
Olha roda, roda, roda...
Caranguejo peixe é!!!!!!!!!!!”
(Autor desconhecido)


Ao colocar gestos e condicionar a criança a fazê-lo sempre da mesa forma, os objetivos propostos acima não são efetivados. Ao contrário, se for proposto que as crianças criem os gestos, a coreografia, enfim, por mais que a música seja sugestiva, posso dizer que um primeiro passo já foi dado. Como a criança vai despertar e usar sua criatividade se ela já recebe tudo pronto? Para compreender melhor isso, basta olhar para o exemplo do desenho livre. A criança aprimora seus traços à medida que lhe vai sendo oportunizado desenhar livremente, o contrário aos desenhos prontos. Não que estes últimos serão excluídos, mas tem que deixar que a criança tenha realmente o tempo para criar o seu desenho.

Da mesma forma acontece com a música. Temos a mania de levar a música com os gestos todos prontos... Porque não deixar que a criança invente sua música? Mude a coreografia? Será que realmente damos oportunidade à criança para criar?
Outro equívoco que se comete também, é o de não atentar-se à letra da música.
Às vezes ela pode ter uma melodia gostosa, pode possibilitar uma coreografia linda, mas é excludente, ou fora da realidade, como por exemplo, quando fala de comida, ou de família.
Canto com as crianças, porém com receio a música: Na sala de aula, não deve prevalecer somente o que o educador traz. Os alunos também trazem músicas ou criam mediante uma situação, seja ela boa ou ruim, respeitar a bagagem da criança;deixar a criança no centro do processo e o professor como mediador e não como ator principal.
Como já disse, ouvir os sons do ambiente é uma atividade muito interessante, pois permite trabalhar percepção espacial, órgãos do sentido, etc. A criança pode construir um repertório de sons que ela ouve de casa até a escola, ou um repertório dos sons que ela gosta.
Devido a alguns acontecimentos na minha sala de aula, fui orientada pela direção a agir de uma maneira construtiva quando a criança trouxer para a escola, CD, ou uma música que aprendeu, ou uma música que a família aprecia. Ou seja, não posso recusar o que a criança traz, por mais que o conteúdo seja impróprio. Mesmo porque às vezes nem a família, nem a criança, pararam para refletir sobre o que está sendo
cantado.
Fui orientada mediante esta situação, discutir, interpretar a letra da música com as crianças, e perguntar se esta música é apropriada ou não, assim a criança vai criando o hábito de discernir o que é útil, e o que é fútil.
Dentro do trabalho com a música, é importante que se faça um trabalho com sons, com as propriedades da música: altura, intensidade, tempo, ritmo, timbre, memória tonal. A criança sem saber, já faz uso de algumas dessas propriedades sem mesmo saber que o faz, sem saber que quando o faz, repete um gesto muitas vezes cultural, que implica na sua expressão como por exemplo: quando a criança quer contar um segredo ela cochicha, quando quer cantar parabéns, canta em alto som, feliz com o aniversário.
A música também auxilia na fase de adaptação à escola, ou mesmo na comunicação não verbal. Crianças de educação infantil, muito pequenas, tendem a retrair-se e não ter contato com ninguém. Não falam, não murmuram, no máximo emitem sons com um determinado ritmo. Muitas vezes o educador conversa com essa criança, por meio de uma comunicação não verbal, ele tenta murmurar como a criança e vai conseguindo promover uma adaptação desta criança.
Na brincadeira, nesse murmurar, a criança já vai compreendendo, incorporando que naquele lugar não tem perigo, que ela pode confiar no educador, na equipe da escola, nos amigos. Creio durante o período de adaptação da criança ocorram situações em que “A música sempre induz movimentos afetivos, que se processam na escuta por meio da vivência de estruturas que existem em nível de texto nela própria.” ZAMPRONHA (2002, pg 24).
É preciso atentar-se aos medos que o educador “enfrenta”, quando vai cantar na sala de aula. Lembro-me que na disciplina de produção e conhecimento da matemática falei em um seminário, que por volta dos cinco, seis anos, a criança começa a despertar repúdio pelo erro. Teme errar, às vezes se retrai, deixa de fazer uma atividade para não correr o risco de errar.
Com a música, nós adultos passamos pelo mesmo problema: evitamos cantar, temendo o “constrangimento de desafinar”. Portanto, é importante saber que a afinação é um conceito social, que a sociedade constrói e que isso não deve ser motivo para não fazer uso da música, ou usar somente CD em sala de aula.
Música não é questão de dom, como nos ensina Craidy (2002), mas sim de hábito, assim como podemos adquirir o hábito pela leitura, também podemos fazê-lo com a música. Incentivar as crianças a produzir suas músicas é muito interessante.
Assim como construir seu próprio instrumento musical. Acredito que o gosto e o hábito pela música podem crescer beneficiando a criança, tornando a aula mais rica.
Quando falo em construção de instrumentos musicais, penso no que foi dito anteriormente, sobre a questão da interdisciplinaridade. Embora na educação infantil, não ocorra a segmentação de disciplinas (português, matemática, etc.), o educador quando vai trabalhar um projeto, o elabora, pensando o que está trabalhando com aquela sala de aula.
A educação infantil para mim, é a melhor escola para o professor entender o que é interdisciplinaridade. Eu aprendi a trabalhar interdisciplinarmente depois que comecei a lecionar no curso de educação infantil. Faculdade nenhuma, magistério nenhum, ensina o que é interdisciplinar como a educação infantil.
Quando for trabalhar com instrumentos musicais, Bréscia (2003), sugere que o educador também o possa fazer de maneira mais lúdica, mais prática, fazendo a criança experimentar em cima de cada instrumento, permitindo que ela crie seu som, sua música. A classe pode até criar uma canção em cima dos instrumentos que conheceu, a partir da experiência que tiveram com cada um. Uma música que a professora pode usar como recurso, é a do mestre André:


“Foi na loja do mestre André,
Que eu comprei um pianinho,
Plin, plin, plin um pianinho.
Ai olé, ai olé
Foi na loja do mestre André (bis)”


E a música continua com outros instrumentos, imitando seus sons, e até mesmo, com os instrumentos seguindo o ritmo da música.
Manusear os instrumentos, assim como criá-los, criar coreografias também é trabalhar com música. Muitos pensam que música é só cantar! Mas ela vai além, pois permite experiências concretas, desde experimentar o instrumento, assim como criá-lo, separar os instrumentos por sons, seriá-los. Isso também auxilia no desenvolvimento cognitivo da criança.
A música enquanto linguagem deve ser trabalhada na sala de aula, quando se faz um trabalho vocal, jogos rítmicos, ou que contenham som, movimento, dança ou os de improvisação. Outra atividade que pode ser realizada na educação infantil é a sonorização de histórias, sugere a autora citada no parágrafo anterior.
Qualquer material sonoro pode ser utilizado para fazer música. Sendo assim, Brito (2003) considera que qualquer propagador de som, pode ser chamado de fonte sonora. Na educação infantil, ao se trabalhar com música, deve-se reunir grande quantidade de fonte sonora. Inclusive pode ser mostrado às crianças, o filme Tarzan. Neste filme há uma cena em que os gorilas fazem som utilizando objetos dos humanos.
É um meio de se produzir música. É interessante utilizar instrumentos bonitinhos, mas a improvisação também envolve isto.
Além dos instrumentos temos também um recurso muito potente, muito conhecido e muito utilizado, não só na música, mas durante toda a nossa vida: a VOZ!
Nossa capacidade de produzir som é muito grande e muito significativa desde a mais tenra idade. Os bebês, por exemplo, se comunicam pelo choro, além de reproduzir sons vocais que ouvem.
O trabalho com a voz deve envolver brincadeiras, onomatopéias, ruídos, reproduzir o som das vogais e das consoantes (pondo ênfase na formação labial), esse trabalho implica na escolha de um local apropriado, acolhedor, que não comprometa a voz infantil. Esta, por sua vez, deve ser alvo de observação do professor, a fim de verificar se a criança tem voz rouca, se faz força para falar, se grita ao invés de falar. Nesses casos, a criança deve ser encaminhada para uma pessoaespecializada no assunto, para que se verifiquem eventuais problemas e estes sejam solucionados.
É muito importante embalar o bebê e cantar ao mesmo tempo. Nesse caso a música terá a função de relaxamento e possibilitará ao bebê um sono tranqüilo. No entanto, quando cantar “cantiga de ninar” ou acalantos, atenção... pois em geral suas letras mais ameaçam a criança doque a tranqüilizam. Ainda bem que quando criança não me atentei às letras. Vejamos um exemplo:


“Nana, nenê
Que a cuca vai pegar!
Papai tá na roça,
Mamãe no cafezá!
Bicho papão
Sai de cima do telhado
Vem ver esse menino,
Dorme um sono sossegado!”



Neste gênero, é de grande valia que o professor resgate as brincadeiras tradicionais, e as mostre às crianças, tanto da sua infância, quanto dos pais delas. Num dia de integração com a família, isso pode ser vivido na prática, discutindo com a criança a diferença do brincar de hoje, com o de antigamente; onde não havia tantos brinquedos eletrônicos, que praticamente nem precisam da criança, pois ele faz tudo sozinho, com apenas um toque no botão “on”. Refiro-me a esta atividade de integração pois já realizei esta experiência na escola onde leciono. A improvisação, por sua vez, tem de se fazer presente por contemplar conteúdos simbólicos, sensório motores.
“Na maior parte dos casos elas (crianças) improvisam, cantando e contando histórias, casos etc. Algumas vezes, no entanto, podem fixar e repetir muitas vezes a mesma ‘invenção’.
É importante estimular a atividade de criação, e, a princípio, é preferível deixar que a criança invente – letra e melodia – sem a interferência do adulto. Podemos, no entanto, sugerir temas,... ou ajudar a organizar as idéias das crianças,... com o cuidado de não conduzir a composição para o modo adulto de perceber e expressar.”

A história tem que fazer parte do cotidiano das crianças, pois desenvolvem a linguagem oral,ampliando o vocabulário, segundo a autora acima citada. Sonorizar a história adeixamelhor, desperta a atenção de bebês e crianças. Porém é preciso entonação, sabendo mudá-la cada vez que muda cada parte da história, o personagem, ou o “clima da história” (descontraído, suspense, medo, alegre).

Porém não precisa de nenhuma graduação em arte para isso! Não é tão complicado como parece! Para tanto, há de escolher com carinho a história a ser contada e também, se preferir,além de sonorizá-la, pode contar com a ajuda de alguns objetos do cotidiano, como faca,garfo, copo, como passava a um tempo atrás na TV Cultura!
O trabalho com a música é de inúmeras possibilidades, basta que a criança e professor usem sua criatividade.

44 comentários:

  1. Tem banda? Conhece alguém que tenha? Conheça Headliner.fm, uma nova e interessante forma de divulgação de bandas online.

    Saiba como clicando AQUI

    Aproveite a passagem pra navegar e comentar no nosso Blog. Valeeeu!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom !!!
    Parabéns pelo blog..
    Esse texto é muito interessante.

    ResponderExcluir
  3. Bacana! Você demonstrou ter conhecimento do que faz, e vai ajudar muita gente.
    Parabéns!Maria das Graças
    MG

    ResponderExcluir
  4. Oi sandra sou professora estou terminando o curso de pedagogia, e minha monografia e sobre música na educação infantil, so que estou com muita dificuldade para terminar preciso de ajuda e de umas dicas.meu indereso eletronico e soniamorena08@gmail.com.

    ResponderExcluir
  5. ADOREI O SEU SITE.
    ESTOU TRABALHANDO COM UMA TURMA DE 1 ESTAGIO, GOSTARIA QUE SABER TEM ALGUMA SUGESTOES DE COMO TRABALHAR COM AS CRIANÇAS NESTA FAIXA ETARIA.
    bEIJOS SIMONE.
    MSIMONEDANTAS@YAHOO.COM.BR

    ResponderExcluir
  6. Adorie sei site, estou trabalhando com creche II eles adoram cantigas de rodas e outras musicas, se puder me ajudar com algum material agradeço, Adriana (adrianaajulio@gmail.com).
    SER EDUCADORA E SE DOAR AO OUTRO POR AMOR.

    ResponderExcluir
  7. encontrei aqui o que estava procurando.Obrigada!

    ResponderExcluir
  8. adorei as músicas mais você precisaria colocar como pode ser colocada em prática na sala de aula.

    ResponderExcluir
  9. ME ENCANTEI COM SEU TRABALHO,ESTOU TRABALHANDO O RESGATE DE MUSICAS TRADICIONAIS COM M II TERIA ALGUMAS DICAS PARABENS MEU END.neia_moa@hotmail.com obrigada

    ResponderExcluir
  10. Até que emfim achei a direção adequada para educação musical infantil, sou prof de canto popular, musicalização,coro infantil e adulto em Garça(SP), e foi de grande proveito a leitura de seu blog, parabens.
    12-05-2011

    ResponderExcluir
  11. Amei o seu blog, tanto é que aproveitei algumas coisas que encontrei, para enriquecer o meu, muito inteligente o seu modo de ministrar a música na educação infantil. Parabens

    ResponderExcluir
  12. Priscila Simão
    Adorei seu blog vai me ajudar muito em sala de aula bjs!!!!
    Guarujá/sp

    ResponderExcluir
  13. Oi me chamo Talita e sou graduanda de pedagogia,e e a minha monografia é sobre a música como recurso pedagógico, e lendo seu blog vi que voce conhece muito bem do que fala, já eu não tenho essa experiência.
    Gostaria de te pedir uma ajuda pra dar continuidade a minha monografia com referencias bibliográfica se for possivel.
    Meu e-mail: thiagotally@gmail.com
    Desde já te agradeço.

    ResponderExcluir
  14. MARAVILHOSO O SEU BLOG, GOSTEI E ENCONTREI O QUE EU QUERIA, ESSE TEXTO É INTERESSANTE FAÇO O CURSO DE PEDAGOGIA E A MINHA MONOGRAFIA O TEMA É MUSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL. GRATA!

    ResponderExcluir
  15. oi! meu nome eh Laiza e adorei seu blog! Estou fazendo minha monografia sobre Música na Educação Infantil. Gostaria de receber textos sobre esse assunto.
    Meu facebook: Laiza Neto
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  16. Olá boa tarde, adorei o seu blog e o contéudo, falando a respeito do desenvolvimento da criança em relação a música infantil.então estou no 5 semetre, fase final.e irei fazer meu tcc de música, gostaria de algumas idéias,livros etc.email.muniquesampaio1@hotmail.com
    agradeço desde já

    ResponderExcluir
  17. Oi meu nome é Rosa, adorei seu blog, eu trabalho com crianças de 4 e 5 anos. Vai me ajudar muito. Gostaria de mais dicas!

    ResponderExcluir
  18. Meu nome é Rose,amei conhecer seu blog!Trabalho com educação infantil e gostaria de trabalhar com meus alunos algumas letras de músicas infantins,não sou professora de música e não tem professora de música na escola.Você pode me ajudar?

    ResponderExcluir
  19. Oi!meu nome é Rose e amei o seu blog!è riquissimo.Na escola onde trabalho não tem professora de música,gostaria de iniciar este trabalho na minha sala de aula.O que devo fazer,ou por onde devo iniciar?Já canto músicas de chegada"bom dia amigo",na hora do lanche"merenda boa",e na hora de ir pra casa"tchau coleguinha",mas quero algo mais.Você pode me sugerir como ampliar esse trabalhar com música na sala de aula? Obrigado!
    Meu endereço:r.oseoliveira@hotmail.com

    ResponderExcluir
  20. olá boa tarde... Olha adorei seu blog com esse tema sobre musica. Eu sou professora do Infantil II e em nossa escola estamos fazendo um projeto sobre musica e movimento, e estamos encontrando muita dificuldade em direcionar nossos objetivos pelo não conhecimento do tema em quastão, ou seja, como trabalhar a musica de acordo com os RECN'S, mais estabelecendo roteiros diferenciados para as criaças... E o como trabalhar me refiro a que musicas, timbres, sons etc. que não possuimos conhecimento. Por favor, qualquer ajuda será bem vinda!!! meu email é: elispedagoga@hotmail.com bjuss Obrigada.

    ResponderExcluir
  21. por favor não utilizem faca ao fazer sons com as crianças, nem garfos, ou outro material cortante, pode ser pau ou colher

    ResponderExcluir
  22. cade as referencias usadas????

    ResponderExcluir
  23. CARISSIMA, ESTOU ESTRUTURANDO MEU TCC SOBRE A MUSICA NA EDU. INFANTIL. SERÁ POSSIVEL VC ME AUXILIAR NO TOCANTE A LIVROS OU ARTIGOS SOBRE O ASSUNTO?
    DESDE JA SOU-TE GRATA. SAÚDE E PAZ.

    ResponderExcluir
  24. Olá minha flor....

    Gostei muito de sua postagem, estou elaborando meu Tcc com o tema abordado em sua postagem.
    Gostaria de saber o nome do livro dos autores citados em seu texto.Para futuras pesquisas, afinal os comentarios feitos por eles estão dentro da minha proposta.
    Meu contato mandinhadamaceno@hotmail.com
    Muito obrigada bjos.

    ResponderExcluir
  25. Ola, gostei muito do que encontrei aqui, mas como em alguns momentos você cita alguns autores, gostaria de conhecer a bibliografia de onde foram retiradas as citações, pois estou com dificuldades para encontrá-las.
    Grata

    ResponderExcluir
  26. adorei seu artigo, tanto que o coloquei em minha monografia, porém para que as citações possam ser validadas preciso do seu nome completo para constar no meu referencial teórico o mais rápido possivel por favor!Aguardo retorno (email: acdsxavier@gmail.com)

    ResponderExcluir
  27. Adorei esse texto. Vai enriquecer minhas aulas com músicas. Obrigada!!

    ResponderExcluir
  28. Ola, prof. sandra adorei tudo que esta escrito.
    Preciso de sua ajuda e que esto no me graduando em pedagogia e esto com dificuldades de terminar meu TG e gostaria de umas dicas....
    este e meu e-mail. elice20128@hotmail.com
    agradeço se poder me ajudar... meu tema e A MUSICA EM FORMA LÚDICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL.

    ResponderExcluir
  29. oi, gostei muito blog, estou fazendo um curso pedagogia da alegria, gotaria de saber que tipos de músicas são bom para trabalhar com as crianças e como seriam utilizadas. pode me ajudar?meu e-mail é tatiklassmann@hotmail.com

    ResponderExcluir
  30. Olá Professora Sandra! Gostei muito do seu blog, principalmente deste artigo.Estou no 4º período de Pedagogia e pretendo usar como meu tema de projeto a Importancia da música na Educação Infantil, porém não trabalho ainda na área. Se por acaso vc tiver algum material que possa me ajudar ficarei grata. bjos josyhelen@msn.com .Josy

    ResponderExcluir
  31. Olá Sandra! Gostei muito do seu blog, principalmente deste artigo.Estou no 7º período de Pedagogia e pretendo usar como meu tema de TCC a Importancia da música na Educação Infantil. Gostaria de contar com sua colaboração se puder enviar algum material que possa me ajudar ficarei grata. vera1bh@hotmail.com

    ResponderExcluir
  32. Olá sou Professora de Educação Infantil e adorei o trabalho que realiza também utilizo das músicas para minhas aulas.Aproveito para deixar nosso projeto de canções para as crianças. entrem no site:www.cantandocomascriancas.com.br

    Tem muita coisa boa para a sala de aula.

    profª Ana Lucia Lemes

    ResponderExcluir
  33. OLÁ, PROFESSORA SOU ALUNA DE PEDAGOGIA E ESTOU FAZENDO UM TRABALHO NO QULA ENCONTREI SEU BLOG ADOREI ...BJS

    ResponderExcluir
  34. OI PROFESSORA SANDRA! AMEI SEU BLOG, ACHEI MUITO INTERESSANTE ESSE ARTIGO. ESTOU NO SÉTIMO PERÍODO DE PEDAGOGIA E O TEMA QUE IREI ABORDA NO TCC É A IMPORTÂNCIA DA MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL,TRABALHEI DOIS ANOS NA ED. INFANTIL E AMEI. SE A SENHORA TIVER ALGUM MATERIAL Q POSSA ME AJUDAR FICAREI MUITO AGRADECIDA.
    dilean_silva@hotmail.com

    ResponderExcluir
  35. Ola Sandra, gostei muito do seu artigo!
    Você pode me indicar livros sobre este assunto?
    Obrigado, marionigodinho@gmail.com

    ResponderExcluir
  36. estou começando esta profissão,de professora de educação de educação infantil,e não sei cantar por favor mi ajude.Obrigada antonia.pantoja@hotmail.com

    ResponderExcluir
  37. Muito bom! Informações pertinentes universo da Educação infantil.

    ResponderExcluir
  38. Boa noite amei seu blog e estou terminando o curso de pedagogia, e meu tcc é sobre este tema gostaria de saber s e vc poderia me ajudar por favorrr, estou desespera.. meu imail
    deinhabrasill@hotmail.com
    bjus fique com deus

    ResponderExcluir
  39. Gostaria de te pedir uma ajuda pra dar continuidade a minha monografia com referencias bibliográfica se for possivel.Adorei a sua máteria Karinabarbosa842@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  40. Oi mim chamo Martusha estou tentando fazer meu tcc sobre a musica no aprendizado e gostaria saber se você teria alguma dica de filosofo, algo assim pra mim começar a minha pesquisa. Agradeço desde já.

    ResponderExcluir
  41. Parabéns pelo artigo, me orientou muito na minha pesquisa, preciso citá-la e preciso do nome completo, pode ser. nytastar@hotmail.com. Obrigada, aguardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MEU NOME COMPLETO É SANDRA NÁDIA KUNTZE ANA NEIVA

      Excluir

VOU ADORAR LER SEU RECADINHO.