quinta-feira, 13 de agosto de 2009

PROJETO FOLCLORE



No dia 22 de agosto comemora-se O "Dia do Folclore", porque foi nessa data que a palavra apareceu pela primeira vez, ou seja, nesse dia ela foi criada.


William John Thoms, um estudioso inglês, sugeriu o seu uso em um artigo publicado no periódico The Athenaeum, no ano de 1846, para explicar o que antes era chamado "antigüidades populares".


Mas exatamente o que significa a palavra "folclore"?


Analisando a sua origem os especialistas chamam isso de "etimologia"- encontramos folk = povo, nação, raça; e lore = ato de ensinar, instrução.


Portanto folclore significa "ensinamento do povo", ou seja, a voz do povo.


Mas o que é folclore na prática?


São as histórias que ouvimos de nossas mães, ou nas rodas de amigos, sobre o nosso povo e a nossa raça.


O Saci-Pererê garoto negro com gorro vermelho e cachimbo na boca, de uma perna só, que passa toda a sua existência fazendo travessuras -, por exemplo, faz parte do folclore brasileiro; assim como as festas do Bumba Meu Boi, o carnaval e as Quadrilhas; o Lobisomem (que também faz parte do folclore norte-americano, e de muitas outras culturas), a Mula-Sem-Cabeça e o Bicho-Papão.


Os contos e histórias tradicionais que ouvimos desde bem pequenos fazem parte do folclore de muitos povos.


Os irmãos Jakob e Wilhelm Grimm, por exemplo, escreveram histórias que já faziam parte do folclore alemão; Chapeuzinho Vermelho, A gata borralheira e O rei Sapo são algumas delas.


Na Espanha temos as touradas.


Os norte-americanos se divertem no dia 31 de Outubro, comemorando o dia das Bruxas com cantorias, danças e brincadeiras: é o Halloween.


Em todas as partes do mundo, cada povo tem formas próprias de manifestar suas crenças e costumes: este é o folclore.






FOLCLORE BRASILEIRO






Mas o folclore não é só isso. Todos os elementos que fazem parte da cultura popular, tradições das mais diversas passadas de pai para filho, e que nos ensinam muito a respeito de determinado povo fazem parte do folclore.


Os gêneros folclóricos são muitos e variados, manifestando-se na música, na comida, no artesanato, nas danças regionais, nas festas e folguedos populares, nas cantigas, nos brinquedos e brincadeiras, nos provérbios, nas par lendas, nos trava-línguas, nas adivinhas, nas superstições e crendices.


Desta forma, aprendemos mais sobre o povo brasileiro, suas origens, suas crenças, sua maneira de agir e de pensar, ou seja, aprendemos mais sobre nós mesmos, conhecendo o nosso folclore.


O folclore brasileiro apresenta várias heranças culturais:


1) A dos povos indígenas;
2) A dos colonizadores portugueses;
3) A dos negros africanos trazidos para o país como escravos;
4) A dos imigrantes europeus, principalmente italianos e alemães.


O estudo do folclore brasileiro começou com Amadeu Amaral (1875-1929) que era poeta e pesquisador das coisas nacionais.


Posteriormente, Sílvio Romero, Nina Rodrigues, Figueiredo Pimentel e muitos outros contribuíram para o desenvolvimento dos estudos sobre o folclore brasileiro.


Mas, não dá para falar de folclore sem mencionar um autor que dedicou sua vida a pesquisar as histórias, os costumes, as tradições, as superstições, as crenças, as lendas e mitos do povo brasileiro.


Luís da Câmara Cascudo nasceu em Natal, no Rio Grande do Norte em 1898. Quando morreu, em 1986, nos deixou como herança a mais completa obra sobre o folclore de nosso país. Ele escreveu mais de 150 livros que são como uma fotografia da alma brasileira.
As manifestações do folclore brasileiro podem se concentrar numa única cidade ou pequena região, ou se espalhar por vários estados.


O carnaval, as festas juninas e a capoeira são exemplos de manifestações que ocorrem por todo o país. No geral, as manifestações folclóricas brasileiras podem ser classificadas de acordo com a divisão do país em grandes regiões:
* Região Norte: no estado do Pará, sobrevivem importantes festas populares como o Círio de Nazaré e a dança popular chamada carimbó, além de pratos típicos de quase toda a região como o pato no tucupi e o tacacá.
*Região Nordeste: o folclore nordestino é um dos mais ricos do país e inclui os folguedos do bumba-meu-boi, do pastoril, da nau catarineta e do fandango; as danças populares como a ciranda, o frevo, o maracatu, o tambor de crioula e a dança dramática do quilombo típica do estado de Alagoas; o artesanato de rendas e bordados, e a cerâmica nordestina cujo maior expoente foi Mestre Vitalino; a literatura de cordel, o teatro de mamulengos e a culinária baiana com seus acarajés, moquecas, carurus, abarás e outros quitutes.
*Região Sudeste: predominam as congadas, o artesanato do vale do Jequitinhonha em Minas Gerais, as festas para Iemanjá no final do ano em todo o litoral do Rio de Janeiro, as duplas de música caipira, as festas religiosas do Divino Espírito Santo, do Domingo de Ramos e de Nossa Senhora dos Navegantes.
*Região Centro-oeste: se destaca com as cavalhadas e pelo bailado moçambique.
*Região Sul: a influência dos imigrantes europeus e da cultura gaúcha se faz presente nas tradições folclóricas através das danças, do artesanato e da culinária. Concluímos que, tudo enfim, que surgiu do povo e por ele é conservado e transmitido, tendo por base a influência dos escravos, índios, portugueses e imigrantes constitui-se no conjunto das tradições folclóricas brasileiras. Diante deste vasto território que é o nosso folclore, decidimos desenvolver esse projeto por achar muito importante esse resgate da cultura brasileira. Optamos mais pela nossa região, e especialmente pelo personagem Saci-Pererê, no qual as crianças vivenciam no sítio do píca pau amarelo, um programa infantil.

Um comentário:

  1. Bom dia ,adorei essa definiçao sobre o nosso folclore.pratica e de facil entendimento.Meu nome é Ana Cecilia moro em Angra dos Reis e atualmente estou com a ed infantil e essa sua definição me ampliou os horizontes.Um grande abraço e parabéns

    ResponderExcluir

VOU ADORAR LER SEU RECADINHO.